do lugar dos outros

do lugar dos outros

quinta-feira, 17 de junho de 2010

.

e foi a luz que te fez sublime dentro da sombra. com a prudência de
um segredo de estátuas.
o pouco efémero é agora regra e mensagem. como se recolhido do
chão fosses mais caminho que caminheiro. e ao lado do visível
dos teus passos mora um ninho de encostas. que te afloro.
pacificamente. e onde me escondo. para sempre.

Isabel Mendes Ferreira – As Lágrimas Estão Todas na Garganta do Mar
.

1 comentário:

AC Rangel disse...

O mais adequado e perene esconderijo...